Fibromialgia X Exercício

Pacientes diagnosticados com fibromialgia relatam dores nas articulações, as manifestações clínicas pontuais mais comuns são: inserção do músculo suboccipital, cervical, nos espaços anteriores entre C5 e C7, borda superior do trapézio em seu ponto médio, . supra-espinhoso, acima da espinha escapular, segundo arco costal, epicôndilos lateral, glúteo, trocanter maior, joelhos, em sua linha medial. É uma síndrome músculo-esquelética de causa desconhecida que resulta em dor crônica generalizada.

Mas como o exercício físico pode auxiliar na qualidade de vida de quem convive com a fibromialgia? Quais os mais indicados e qual intensidade deve ser aplicado em alunos com essa patologia?

Como a fibromialgia é uma doença multifatorial de causa ainda desconhecida, deve-se abranger caso a caso, porém o aeróbico é importante assim como os alongamentos e exercícios de musculação de intensidade moderada. O objetivo principal é melhorar a qualidade de vida para que as atividades da vida diária possam ser realizadas de maneira normal, pois de maneira geral os exercícios possuem um efeito analgésico e devem ser feitos de maneira progressiva sempre sendo acompanhada individualmente e por um profissional de educação física com conhecimento sobre a doença.

É comprovado também que os exercícios são capazes de alterar o estado mental melhorando a auto- estima e a depressão, devido à liberação da serotonina, que no caso dos pacientes diagnosticados faz uma enorme diferença no combate à doença.

No caso específico que estamos falando hoje, o descanso, ou seja a melhora do sono em si, e não apenas do descanso muscular localizado, focar em estimular tanto o sistema cardiovascular quanto o anaeróbico de maneira moderada e finalizando com um bom alongamento em pontos específicos de quadril e trapézio é uma estratégia eficaz no planejamento de treino de um paciente fibromiálgico.

Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *