QUANDO SUPLEMENTAR GLUTAMINA?

por Loriany de Paula

A glutamina é considerado como um aminoácido não essencial, isto significa que nosso corpo consegue produzi-lo por conta própria o necessário para suprir a necessidade básica de um indivíduo com baixo estresse físico.

Esse aminoácido está literalmente envolvido no catabolismo e anabolismo muscular. Quando colocamos nosso corpo em estresse físico no caso de um treinamento de alta intensidade podemos apresentar uma redução de até 50% na concentração plasmática de glutamina, sendo necessário sua suplementação para recuperar e manter uma reserva de glutamina suficiente evitando um quadro de catabolismo muscular

Essa reserva de glutamina deve permanecer maior ou igual quando comparado a concentração de uma pessoa com atividade física de baixa intensidade, garantindo um bom funcionamento imunológico, produção de neurotransmissores, transporte de água e muito mais.

A importância da suplementação de glutamina vem sendo estudada em processos que envolvem respostas imune e inflamatória, utilizada em vários tratamentos tais como em pacientes queimados, durante a septicemia, pós-cirurgia, após exercícios de resistência e no supertreinamento, inclusive em indivíduos submetidos a um período igual ou superior a dez dias de treinamento intenso, com um tempo insuficiente de repouso entre as sessões.

Quando essa necessidade de glutamina não é suprida, o resultado dessa deficiência pode ser o aumento nas chances de perda de massa muscular, menos energia e doenças imunológicas frequentes, além disso, o uso de glutamina pode amplificar o efeito de outros suplementos quando usados em conjunto.

Comentários

Your email address will not be published. Required fields are marked *